9 de janeiro de 2015

Estilo de Vida Paleo

Sei que esse blog é cheio de gordices e tentações, mas, para variar o assunto um pouco, vamos falar de dieta?? hehe

Comer é muito bom =)~ 

Eu nunca fui uma pessoa conhecida por ser vaidosa, mas uma questão estética que sempre me incomodou foi o peso. Fui gordinha por boa parte da infância e por toda a adolescência. Quando entrei para a faculdade e passei a morar sozinha, consegui chegar no meu peso ideal e manter por vários anos... até que engravidei. Na gravidez, de fato, não tive grande ganho de peso, mas quando Lulu nasceu, achei que podia comer qualquer coisa e engordei tudo que tinha direito e mais um pouco. Quando me controlei, só com o apoio da amamentação e restrição dos excessos voltei para o peso ideal e consegui manter por um bom tempo.

Daí chegou 2013, que vivi sem culpa, conhecendo restaurantes novos, comendo o que quisesse, cozinhando o que desse vontade. Junto com essa liberdade, vieram os quilinhos a mais, que como já disse, adquiri sem arrependimento porque vivi ótimos momentos.

Em 2014 decidi que seria mais controlada, que me esforçaria para ser mais saudável e assim voltar ao meu peso ideal. Comecei a seguir aquelas regrinhas básicas de RA, comer de 3 em três horas, optar por grãos integrais, nada de fritura, produtos com baixa gordura, etc, e para a minha surpresa os números da balança aumentaram ao invés de diminuir.

Daí acabou vindo aquela urgência em emagrecer e, seguindo o exemplo da minha irmã que conseguiu emagrecer com herbalife mais de 30kg após uma gravidez, lá fui eu tomar shakes para emagrecer. Funcionou por um tempo, até que viajei e deixei de seguir o cronograma por uns dias. Depois disso, nunca mais consegui voltar a tomar os shakes nos horários certos e recuperei todo o peso perdido. Deixei para lá e voltei a só restringir os excessos no dia a dia. Não engordei mais, mas também não emagreci.

Enquanto isso fui pesquisando sobre dietas, estilo de vida saudável, e acabei esbarrando na Dukan. Achei cheia de frescurinha e muito complicada de fazer, mas me interessei pela filosofia low carb (baixo carboidrato), que tive o primeiro contato através dela. Continuei pesquisando à respeito e depois de mais de um mês de estudo, que incluiu documentários, artigos escritos por médicos, estudos científicos, etc, descobri que existem diversas ramificações de dietas de baixo carboidrato e resolvi fazer uma semana de teste de acordo com a filosofia da Dieta Paleolítica, ou só Paleo, que foi a que mais me identifiquei.
Mudança de paradigma total!
A Paleo é muito simples. Apesar de ser chamada de dieta, ela está mais para um estilo de vida do que para um cronograma a ser seguido somente para perder peso. Ela parte do princípio de que o nosso corpo não está adaptado para comer a comida de hoje em dia, então seria mais saudável seguir uma dieta semelhante a dos nossos ancestrais paleolíticos. NÃO é dieta da proteína, NÃO é uma dieta que conta calorias. É uma dieta que prioriza o consumo de comida sem rótulos (comida de verdade). Não precisa nem seguir aquele cronograma (que eu detesto!) de comer a cada 3 horas. É só comer os alimentos certos na hora e na quantidade que tiver vontade. No caso de quem quer emagrecer, é sugerido restringir os carboidratos, mas não as gorduras (abordagem Low Carb High Fat, pouco carboidrato e muita gordura). Para quem está no peso ideal essa restrição não se faz necessária.

Um ponto polêmico da dieta é o fato de condenar o consumo de grãos (principalmente o trigo), mesmo que integrais, óleos de sementes (soja, milho, etc), produtos light ou zero gordura, e incentivar o consumo de gordura vegetal saudável (óleo de coco, azeite), manteiga e gordura animal (banha) com a justificativa de que os grãos e óleos de sementes são a causa (ou agravantes) dos problemas de saúde da sociedade atual. Nós crescemos ouvindo justamente o contrário, é difícil de assimilar isso no início, mas o fato de ter tentado mais de uma vez seguir o que se prega por aí como saudável e nunca funcionar pra mim e a gama de textos baseados em evidencias que li, me deram a segurança que eu procurava para testar.

A verdade (nada bonita) sobre o trigo!
Fiz a semana de teste, tive ótimos resultados na balança e no meu bem-estar e decidi continuar por mais tempo. Tk, que me acompanhou na fase de comilança errada, se empolgou e está seguindo a dieta comigo. Estou me sentindo muito bem desde que comecei. Não passo fome, estou dormindo melhor, me sentindo mais disposta, não estou com aquela necessidade de comer a cada 3 horas (que eu detesto) que uma dieta rica em carboidrato te obriga. Estou há 5 semanas seguindo a filosofia e acho que encontrei meu caminho com a Paleo!  =)

Quem quiser mais informações a respeito, sugiro conhecer os sites:
- Blog do Dr. Souto http://www.lowcarb-paleo.com.br/
- Paleodiário http://www.paleodiario.com/
- Primal Brasil http://primalbrasil.com.br/
- Paleo For Women http://paleoforwomen.com/

Livros em português:
- Barriga de Trigo, de William Davis
- Por que Engordamos e o que Fazer Para Evitar, de Gary Taubes

4 comentários:

  1. Estou mudando os hábitos gradativamente, primeira etapa foi deixar o glúten e já tenho resultados positivos. A retenção de líquidos diminuiu significativamente, as roupas estão mais confortáveis.
    Já resisti a pão quentinho e bolo cheio de gordices, estou reaprendendo a cozinhar.
    Ter um atleta adolescente me incentiva a querer alimentação saudável sem deixar o lado doce da vida.
    Estou fazendo minha farinha de arroz preparada para pães e bolos. 😊😊😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! Que a gente ganhe mais do que o peso desejado na balança, mas muito mais saúde e disposição =)
      beijos =**

      Excluir
  2. "Seguir empolgado" talvez seja um exagero, que saudade dos pães... Mas estou adorando os resultados!! 6kg perdidos e continuando!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha mas vai dizer que tá sofrendo?? xD

      Excluir